Óleos essenciais: funções terapêuticas

Óleos essenciais: funções terapêuticas

Por que os óleos essenciais podem ter dez ou mais funções terapêuticas?

Para compreender isso, é necessário entender a evolução das plantas e dos óleos essenciais, os quais foram desenvolvidos como parte do sistema imunológico delas. Ao longo da evolução, as plantas aprenderam a desenvolver um repertório químico muito amplo e dentro dele estão os óleos essenciais.

Os óleos essenciais são uma classe de substâncias que tem vários subtipos diferentes. Então, dentro de um óleo essencial podem existir dez ou mais famílias químicas. Sendo representadas cada uma dessas famílias por dezenas ou centenas de substâncias químicas.

Para entender a ação do óleo por completo, é preciso entender toda a atividade dessas centenas de substâncias que é um estudo mais complexo. Basicamente, é importante saber que existem substâncias majoritárias que dão o tom terapêutico do óleo essencial.

Por exemplo: no Óleo Essencial de Tea Tree, existe o Terpineol-4 responsável pelo efeito antisséptico e antibiótico. Entretanto, existem outras substâncias em menor quantidade responsáveis por impedir que os microrganismos sofram algum tipo de mutação. Assim, elas impedem a resistência desses microrganismos contra o óleo. Tal característica torna o Tea Tree muito mais eficaz que os antibióticos convencionais.

Por terem tantas substâncias químicas diferentes, quando os óleos essenciais interagem com o nosso sistema fisiológico, eles desempenham dezenas de funções. Portanto, um óleo pode tratar várias doenças diferentes.

Resumindo: um óleo essencial pode ter dez ou mais funções terapêuticas por ter diferentes substâncias químicas em concentrações altas. Cada uma delas é responsável por um tipo de atividade e o conjunto delas é responsável pelo efeito sinérgico.

Quer aprender ainda mais sobre Aromaterapia? Baixe o e-book gratuito O Guia Completo da Aromaterapia.

Fechar Menu