Aromaterapia na Maternidade – Gravidez, Parto e Pós-parto (parte 1)

Aromaterapia na Maternidade – Gravidez, Parto e Pós-parto (parte 1)

Ser mãe não é uma tarefa fácil. Envolve um processo longo, difícil e cheio de mudanças, tanto físicas quanto emocionais, que se iniciam desde antes da gravidez, mas se intensificam após a chegada do bebê. Há uma série de opiniões, dicas e palpites que permeiam a realidade da mães, mas a verdade é que esta é uma vivência que só pode ser compreendida na prática. Preparamos uma série de textos a fim de te mostrar como a Aromaterapia pode ser sua grande aliada neste processo, mas cabe a você, mãe, decidir como agir neste momento. Respeite seu tempo, suas mudanças e limitações; mas nunca se esqueça: você é forte! Será uma jornada longa e transformadora, mas garantimos que valerá a pena. Você dá conta, e a Aromaterapia pode te ajudar.

Gravidez

Começamos pela gravidez. Seu corpo está mudando, suas emoções estão mais afloradas, e você se pegará reagindo a determinadas situações de maneira diferente habitual. É normal se sentir sozinha, confusa e até deprimida com tantas novidades em seu corpo e em sua vida. Logo no ínicio da gestação, você experimentará uma das sensações mais comuns às gestantes: o medo. Medo de abortos espontâneos, das náuseas e enjôos, dos desconfortos, do parto, da falta de suporte emocional ou instabilidade financeira. É normal ter tais preocupações. Aqui, nós vamos tratar dos males que mais acometem as gestante nesta fase, mostrando como a Aromaterapia pode ajudar.

Ansiedade e dificuldade para dormir

Com o medo, vem a ansiedade, um dos maiores males que afeta as gestantes. Fisiologicamente, ela está associada à mudanças no eixo hipotalâmico-pituitário-adrenal (HPA); que geram um aumento significativo na produção de hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), o hormônio que é liberado em situações de estresse.

Embora a ansiedade seja uma sensação bem comum na gravidez – cerca de 70% das gestantes costumam apresentar tais sintomas;  quadros de ansiedade prolongada – de três semanas a seis meses de duração – podem resultar em má adaptação à gestação, o que pode afetar o desenvolvimento psicológico da criança.

O óleo essencial de Lavanda (L. augustifolia) é um dos óleos mais indicados para este período. Ele tem efeito ansiolítico, e resultados relaxantes e de alívio da dor. Sua aplicação é indicada para  auxiliar no sono, com o uso de 5 a 8 gotas no difusor de ambientes.

Foi comprovado cientificamente que grande parte do efeito ansiolítico da lavanda deve-se principalmente a dois compostos: linalol (álcool) e o acetato de linalina (éster). Assim, outros óleos essenciais que tenham tais compostos em quantidades relevantes também podem ser utilizados, como Pau Rosa (Aniba roseadora), Bergamota (Citrus bergamia), Petitgrain Laranja Amarga (Citrus aurantium) e Manjericão tipo linalol (Ocimum basilicum). Ele podem ser usados via inalação – de 2 a 3 gotas – ou via massagem, diluída a 1% em um carreador de boa qualidade.

Náuseas, vômitos e dores de cabeça

Cerca de 80% das gestantes costumam sentir náuseas, enjôos, amargor na boca e dores de cabeça, especialmente no primeiro trimestre de gravidez. Os óleos essenciais de Hortelã-pimenta (Mentha piperita) e Hortelã-do-campo (Mentha arvensis); são muito úteis para tratar as náuseas. Podem ser utilizados via inalação – até 3 gotas na palma das mãos.  Ambos OE Hortelã podem ser utilizados na preparação de uma solução para o amargor na boca – 3 a 5 gotas.

Estes óleos também podem ser utilizados para tratar dores de cabeça leves ou moderadas, além do OE de Lavanda. Pode-se utilizar duas gotas em massagem  ao redor na cabeça e no pescoço, evitando contato com os olhos.

Veja aqui como usar óleos essenciais.

Para aliviar os vômitos, uma sinergia de 4 gotas de Limão siciliano (Citrus limon)  e três gotas de Lavanda (L. augustifolia)  podem ser utilizados em massagens na região abdominal, com 30ml de óleo carreador de boa qualidade.

Outros sintomas

  • Pra vontade de urinar frequentemente, são recomendados os OEs de Manjerona doce, Cipreste e Néroli.
  • Para desconforto abdominal: Junípero, Benjoim e Lavanda.
  • Para azia: Sândalo, Camomila Romana e Petitgrain laranja amarga.
  • Para hemorróidas: Cipreste, Sândalo, Hortelã-pimenta e Laranja doce.
  • Para estrias: Lavanda, Olíbano, Rosa e Camomila Romana.
  • Para varizes: Cipreste, Sândalo e Laranja doce.
  • E para retenção de água, Petitgrain laranja amarga, Gerânio e laranja doce.

Todos via inalação ou em massagem a 1% em óleo vegetal carreador de boa qualidade.

Quer saber como tratar mais de 30 doenças diferentes com apenas 4 Óleos Essenciais? Clique aqui!

 

Referência: International Federation of Professional Aromatherapists (2013) Pregnancy guidelines – Guidelines for Aromatherapists working with pregnant clients.

Fechar Menu