3 Óleos Essenciais para Rugas e Marcas de Expressão

3 Óleos Essenciais para Rugas e Marcas de Expressão

Rugas são linhas e depressões que se formam na pele com o envelhecimento.  Agora, você vai conhecer 3 óleos essenciais que podem ajudar nas rugas e marcas de expressão de forma natural e cientificamente embasada. 

Segundo a classificação do Dr. Richard Glogau, existem 4 tipos principais de pele:

A pele sem rugas, a pele com rugas devido a expressões faciais, a pele com rugas mesmo em repouso, e a pele que contém apenas rugas, como a de pessoas bem idosas.

Atualmente, a teoria mais aceita afirma que as rugas aparecem devido a uma recuperação ineficiente das fibras de colágeno e de elastina, proteínas responsáveis pela integridade da pele.

E é exatamente por isso que os óleos essenciais podem ajudar! 

Um estudo realizado na Coréia do Sul demonstrou que óleos essenciais ricos na substância cânfora são capazes de inibir a formação de marcas de expressão. Essa substância comum em óleos essenciais aumentou a quantidade de colágeno na pele, além de induzir a expressão de colágeno e elastina em fibroblastos.

Quais são os 3 óleos essenciais para rugas e marcas de expressão?

O óleo essencial rico em cânfora mais acessível é o Alecrim, mas atenção, esse óleo não deve ser usado por pessoas hipertensas.

Outro óleo essencial poderoso para é a Lavanda, pois um estudo demonstrou que esse óleo essencial também é capaz de estimular a formação de colágeno, além do seu conhecido efeito cicatrizante.

E o terceiro óleo essencial é a Mirra, um dos mais poderosos antioxidantes e cicatrizantes.

Outros óleos essenciais interessantes pra você usar incluem o Olíbano, o Gerânio, o Patchouli e o Ylang Ylang.

Você pode usar esses óleos essenciais diluídos em algum óleo graxo carreador, como a Rosa Mosqueta, Semente de Uva, Coco, Jojoba e outros. A concentração em cosméticos pode variar de 1 a 5%, dependendo do tipo de pele.

Quer aprender como tratar mais de 30 doenças com apenas 4 óleos essenciais? Assista a palestra gratuita

Referências:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26458283

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4880962/

Fechar Menu